terça-feira, 10 de maio de 2011

Antes me amanheça

Antes me amanheça
com seus lábios entreabertos e olhar lascivo
Pelos entre pelos, doce
como o orgasmo de uma flor
Sua flor
como que coberta por um delicado orvalho
Perfume que mascaro entre a língua e os lábios

Antes me amanheça em suas coxas
e me abrace, morna e delicadamente

7 comentários:

bzzzz. disse...

pra fazer com que dure, apesar de tudo...

Amanda Gomes disse...

Acho que esse poema encerra a questão: o erotismo lhe cabe mais que o suspense.
Não consigo imaginar nada mais doce do que "o orgasmo de uma flor"... Pode ter se enganado (nos enganado)? Agora, não me parece mais erótico do que romântico.
Causou-me um estranhamento. Quase posso imaginar o eu-lírico deliciando-se com o sabor doce de uma menina pura e entregue, com uma flor entre os lábios, molhados pelo orvalho (adorei a sonoridade de orgasmo e orvalho)...
Beijos.

fricção fictícia disse...

Obrigado Amanda. Seus comentários são sempre inspiradores. O que me intrigou foi a imagem de uma "menina pura e entregue". Por que não uma mulher experiente, mas igualmente entregue? A relação, assim, talvez seja mais interessante.

Nana Gomes disse...

Talvez porque eu tenha associado a imagem de uma certa flor branca que eu adoro à ideia da efemeridade de qualquer flor... Flores murcham muito rápido. Seus significados é que reverberam em nós. No fundo, essa associação não tem nada a ver com o poema em si, mas com uma interlocutora que teve sua imaginação deslocado... Amo o lirismo.

Beijos.

S. disse...

Não tenho blog, comofas?
Brincadeira. Indo ao que interessa, o poema soa extremamente sensuável. Uma palavra que eu acabei de inventar (não quero nadinha, né), que intenta ser um híbrido de sensível e sensual. Realmente sensual. O eu-lírico é taurino? Huahua. (Vou ler o resto)

Marcus v. disse...

Acertou em cheio: o eu lírico e' realmente taurino rsrs

a. disse...

antes me adormeça.